Quando os fins não justificam os meios



Em ano de eleições autárquicas,  a discussão política transferiu-se para paginas anónimas, alimentadas pela má-fé,  pela manipulação desenvergonhada da informação, pelo ataque pessoal, infame e vil. Todas elas, apesar de "anónimas", declaram o seu apoio a esta ou aquela candidatura e - o que é mais estranho - nenhum dos candidatos apoiados por essas páginas,  muito mais sujas que os caixotes do lixo que insistentemente fotografam, veio a público demarcar-se daquele lodo. Pelo contrário, incentivam (nalguns casos chegam ao ponto de as gerir e alimentar), são coniventes ou mantêm um silêncio cúmplice com aquelas fossas sanitárias a céu aberto. Mesmo assim, acham que merecem o nosso voto.

Comentários